segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Quatro momentos... (início...)

Hoje vou te falar de um jeito diferente. São quatro momentos em que eu me desnudei para ti e acredito que nem te contei... 
Portanto são memórias de nós dois que tu não tens. Ainda. 
Sexta feira conto os outros 2!
______________________________________


Amanhecendo... 
E tu me disseste: “Sim e eu te deixo meu corpo com muitas cicatrizes, ele é teu, só teu!”
E assim eu o fiz: eram 7 h da manhã e acordei sentindo teu corpo embolado com o meu, tuas mãos se moviam lentamente pelo meu corpo e eu achei que estava sonhando... 
E foste me despertando e me enlouquecendo de fome e eu queria mais e mais, tudo o que tuas mãos, tua boca, teu sexo me podiam dar... 
E usei as minhas mãos como se tuas fossem, do jeito que me deixaste para que eu usasse... 
E foi delicioso aquele êxtase com o dia raiando, e eu me sentindo nos teus braços, amada e desejada... 
______________________________ 




Dia de mar...
Estamos nós dois na lancha...
Num ponto onde só vemos o azul do mar e outro azul do céu...
Deitamos nus, de mãos dadas e deixamos o sol aquecer nossos corpos e o silêncio refrescar nossas almas...
Sente o vento... Caímos na água gelada...
Ficamos até nossos corpos pedirem e voltamos
e deitamos e então e só então me cobres com teu corpo
e olhas no fundo dos meus olhos
enquanto me fazes tua,
mais uma vez.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Primeira noite (tanto tempo faz...)

Tu apareces, me espreitas e somes. Eu te olho, te desejo, me recolho. Esse jogo de sedução é delicioso e me deixa tonta de tesão... Adoro imaginar que vais ler aqui e saber que é de ti que estou “falando”, que é a ti, tão distante de mim, que eu tenho tanto para dar. Quero te sufocar de paixão. Te matar de amor...
______________________________________ 



Sou duas: uma que escreve e outra que sacode a cabeça.
Uma sonha, imagina, inventa, programa, faz e desfaz. Outra tenta calcular, realiza, descobre, analisa e a essa compete juntar os cacos e tentar colar.
Mas aqui vou dizer que o que estou sentindo é capaz de me tirar dos outros... Me tirar dos braços dos malucos de plantão, dos caras do outro lado do mundo, daqueles que se encantam com um perfil só porque sei o que quero e digo isso.
Esses outros – dois ou três – nunca vão me ter de verdade e eu jamais serei a mulher de nenhum. Preciso da tua carne, que imagino morna e com “sustância”, um peito delicioso, braços que vão me acalmar e segurar e prender e não me deixar sair. Mais.
Preciso puxar teu rosto para meu ventre, sentir que tens prazer em me provar, que é tão gostoso como será quando eu lamber cada pedaço teu. Quero deitar de lado e te oferecer meu seio para tua boca brincar até que eu morra gozando assim. Ah, loucura molhada, escorrendo de mim!
Quero te impedir de me tocares e te obrigar a só sentir. Vou te usar de parquinho de diversões e te esgotar de cansaço, pois cada lugarzinho será uma estação para começar outro brinquedo. Quando decidirmos conversar, a gente para e dá um tempo. Vamos falar e contar e debater e aprender e apreender. Quero sugar tudo que tens na alma e no ser. Vou te passar toda eu. De “papel passado” parece mais de verdade? Sentes fome? Vamos fazer uma comidinha ou deixa que eu trago um café.
Se dormires, não te assusta. Vou me enfiar sob o lençol e te acolher na minha boca. Sei o que o calor vai fazer contigo. Vais crescer e crescer e me darás a alegria de ser a culpada por esse mo(nu)mento.
Adoro me sentir expectante de ti. Quero que me aprecies, mas que me vejas um ser humano com erros e para tanto me mostro boa e ruim, do jeito que sou. Uma gueixa para o meu amante. Uma fortaleza para os estranhos. Um ninho para usares e abusares. Não sou feminista e adoro nossas diferenças. A partir de hoje sonharei contigo. Essa cabeça iluminada, inteligente e competente. Um espírito em crescimento, um homem decente e bom. Um corpo alvo do meu tesão que já começa grande a ponto de teres que concordar comigo: tsunami ou bomba atômica, tanto faz. Vamos explodir, é o que importa!

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Poder dos Deuses...

Esse Zeus... Me enlouqueceu, me desatinou, me fez deusa e mulher... Mostrou como se pode gostar de ser deusa, mulher e MORTAL !
___________________________________________ 
           



Louca, desatinada... 
Correndo entre pedras, pedrinhas, gramas, areia do mar...
tudo o que quero é me jogar e ser acolhida pelos braços do mar...
Netuno vai me abraçar,
com força vai me levar numa viagem sem tempo...
Me sinto afogando e voltando, mergulhando e subindo,
tentando respirar e de novo num redemoinho de paixão !!!
Tu escolheste a minha prisão: me manténs imobilizada
e ao mesmo tempo tu ficas prisioneiro entre minhas pernas,
meu ventre que tu transformas num vulcão
ele mesmo te prende a boca...
Oh, Zeus, os deuses todos não sabem o teu poder...
O que controlas com tuas mãos,
o que descontrolas com tua língua, e eu saio e flutuo...
Estou e não sou nada...
Fico corpo em insanidade total e alma subjugada porque és mais:
mais forte, mais controle, mais loucura, mais paradoxo ...
E desfico alma, espírito, emoção, fantasia...
Tudo desagrega, mistura, tsunami de desejo por mais!
Quero mais e mais, e de novo...
É, é uma ânsia ímpar!
Um maluco egoísmo, uma soberba de poder ser o centro do momento,
o universo em chamas!
Nada importa na volta, nem mesmo o real manifesto desejo
de ser a gueixa total,
a submissa absurdamente compromissada com o teu prazer!
“E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo... E Ele disse: Haja luz; e houve luz.“
Assim fizeste comigo. Houve luz. Raios e relâmpagos... 

E eu senti a face da morte sumir... 
E a vida no seu total poder, surgir e ficar...
Foi assim o meu Gênesis!


sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Pensamentos da paixão...

Eu te quero com uma força que me assusta. Me dobro em ânsias de me fazer tua, já nem sei mais como administrar a vontade de estar contigo... Meu pobre coração já não pode mais me conter... Meu corpo transborda e meus pensamentos correm como caudas de meteoros em busca do sol... 
______________________________________________ 

Ontem eu via o teu olhar de paixão. Tua fome. A vontade de me pegar por trás e entrar todo! E eu passo agora dias e dias me alimentando da loucura que desejo contigo. Das coisas todas inventadas ou ainda não existidas. Sonho as coisas difíceis e doídas... As tuas mordidas e como vais me apertar sem piedade. Vais me calar os uivos com beijos!

Eu me vejo ajoelhada entre tuas pernas te puxando pra poder te sentir mais dentro da minha boca. Te imagino mais e mais duro, grosso, “rosso”... Pronto pra mim e eu vou fazer demorar muito tempo. Quero compensar esse sexo rápido e desesperado. Vou te deixar excitado por horas. Até que não suportemos mais de desejo!

Como fica difícil dormir te imaginando tão longe e ao mesmo tempo te sentindo agarrado no meu corpo. Sinto tua boca e tuas mãos. Teus pés frios como os meus.

A sensação é ruim: como uma emoção paralisada, o desejo interrompido... Pra onde fostes? Onde te encontro agora? Te lembras de mim, nua e vazia olhando a tela escura do note? Vem pra mim ou me deixa ir a ti .

Eu sei que virás brevemente. Vais te por disponível e eu vou te usar. Ficarei louca de alegria e anteciparei os prazeres. Sabes que passo os dias inteiros escrevendo os roteiros, as falas, os atos, os cenários com tudo que possa nos dar mais e mais tesão! Vivo para ter tua mente, tua alma, teu corpo como meu parque de diversão e poder te entregar EU inteira para teu prazer. Sei o que vais fazer, o que queres e o que gostas. Sei do teu carinho e da tua gana e me preparo todo o tempo para beber desse cálice até a última gota.

Essa agonia me mata, me devasta a alma, acovarda meus sentidos e aniquila meu corpo! Chega desse esconde-esconde e me carrega contigo. Não somos iguais, por sorte: eu sou apenas uma mulher.

E porque tu me deste um espaço vazio pra plantar eu o usei. Depositei a semente do meu amor num cantinho do teu coração... Não esquece de dar um olhar que seja para ajudar a semente a florescer.


Pensas que 2 dias seguidos fazendo amor saciam minha fome ??? Me deixam desatinada de TESÃO!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Noite de Terça (agosto)

Agora tenho outro jeito de chegar a ti... Um lugar onde meus pensamentos rápidos, espontâneos, totalmente sem controle, virão, como vêm durante todo o dia e eu vou jogar lá... Pequenas frase do tipo  
“Estás ocupado agora? Baixa os olhos... Estou entre tuas coxas, ocupada...Continua trabalhando. Faz de conta que não estou aqui”. risos 
___________________________________

Não sei que loucura me deu. Nem sei mais se é amor saudável; acho que é doença minha. Tua, nem sei. Mas, se alguma coisa me acontecer, todos que me lêem aqui, saberão que és responsável. Ia escrever “por tanto desgosto” e lembrei de “agosto é o mês do desgosto”. Podes mudar isso: “dizei uma só palavra e minha alma (e corpo) será salva!”
Tu viste a que ponto eu cheguei contigo. Disse, prometi que não iria mais te escrever, falar contigo, telefonar, nada. Chega de sofrer essa tortura.
E ai te vejo me olhando, lendo a minha nudez literária, olhando eu retirar peça por peça, pano por pano, mostrando minha alma e minhas emoções... Parece até quando fazias isso mesmo, lembras?
Tu sabes que é pra ti que escrevo, que troco situações, altero a ordem, mexo nos momentos, mas sempre é contigo, por ti, de ti, em ti, dentro de mim!
Quero chamar tua atenção, preciso que fales comigo, preciso te ver novamente! Ameaço ficar doente, bater o carro, pegar uma pneumonia galopante, qualquer desgraça para que tenhas piedade...
E lá no fundo de mim eu vejo a tua frase maldita: deixa de ser dramática! E fico sem saber se choro, me desespero pra te mostrar que não é drama; é dor de primeira necessidade, não é de luxo.
Mas, o que posso fazer? Tem um zilhão de células dentro e fora do meu corpo gritando por ti, elas me deixam maluca, sabias? Todas se dão as mãos pra exigir a tua volta. Até os brinquedos fechados na gaveta se revoltaram e não se prestam mais... Falam em greve!
Desgraça de signo, o teu e o meu. O meu por viver nas nuvens e o teu por me manter selada. Acho que um homem como tu que põe freio e arreio numa sagitariana e a faz sofrer as humilhações e dores desesperadas pela ausência e abstinência forçada, deveria pagar com uma sessão de sexo tântrico, vinte e quatro horas ininterruptas!
Mas é o que planejo, se eu chegar a por as mãos e todo o meu resto, em ti!
Quando isso acontecer, nem me venhas com explicações que já imagino, eu não concederei ouvidos a nada. Vou somente me vingar te inundando de amor, prazeres da carne, um pouco de líquidos pra não desidratar, sem comida pra não pararmos muito tempo...
Claro, banhos, daquele tipo que já escrevi... Com as gotas escorrendo no teu corpo e a espuma do sabonete, e as minhas mãos, as minhas mãos mais urgentes, e mais atrevidas, indo onde nada mais alcança... E tu reagindo, mas impedido de fazer coisas como ignorar. Vais sentir, te prometo, vais sentir e mostrar o sentimento crescendo e eu aproveitando...
Chega de falar nisso. A essa hora tu dormes e eu aqui, com a greve dos brinquedos, faço o que?
Um texto de comédia erótica. Nunca pensei!
A verdade é que nós dois sabemos o quanto estamos desesperados e famintos, e talvez tu saibas o que fazer, quando vais fazer, se der pra fazer. Eu, nada sei. Para não enlouquecer, faço essa comédia disfarçando o drama. Ah, como te quero!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Noite de Sábado

Não sei como amar um homem menos do que assim. Imagino esse amor  multiplicado por mil quando estiver contigo. Escrevo o roteiro, defino os personagens, ensaio, cuido do cenário, da coreografia, dirijo e produzo...Enquanto a noite de sábado voa...
_________________________________________ 


Tu sabes como me enlouquecer! Deixei uma frase falando do dia chuvoso e fiquei mais triste ainda; sabia que não te veria tão logo.
Mas existe um ímã entre nós, o tal fio, tanto que tu entras e eu imediatamente ativo o celular e, milagre! Tu estavas lá!
É uma emoção que acho só nós dois podemos sentir, só nós sabemos o que é suportar a distância e fazermos dos nossos corpos o corpo do outro e nos amarmos como se fossemos o outro.
Complicado. Mas hoje fizemos mais um oásis brotar no deserto das nossas vidas.
Enganei-me.Te pensei em trânsito e tu estavas em casa. Quando te vejo, esse sorriso, o rosto sonolento, mas teus olhos brilhando do prazer de me encontrar em casa e disponível – como sempre – nada mais importa. Damos um jeito.
Eu me desmancho, me derreto, com tuas ordens que são diretas mas carregadas de tesão, de um desejo vicioso, enlouquecido. Quando me orientas e eu te sinto me tocando, me beijando, cheirando cada canto meu, sentindo meu gosto e me transformando numa cachoeira que não para de fluir... Então todas as minhas reservas, as negativas, as tentativas de te “enganar”, tudo some e eu apenas quero que me uses, que morras me amando, que me mates de amor...
Quero te ver e que me vejas e não sei o que me desatina mais: se o meu desejo por ti ou a tua gana por mim.
E vamos num crescendo totalmente doido, nos embolamos, nos grudamos, nos beijamos e apertamos. Sinto a fúria dos teus beijos por todos os cantos em que queres me alcançar. Eu sinto teu gosto de pele morna, cheirosa da cama onde me esperavas... Tenho até medo de tirar algum pedaço do teu corpo que eu adoro de tanta loucura que me despertas.
E depois de te ver com a mão tapando a boca para não ecoar teu último gemido ficamos mudos, nos olhamos como se acabássemos de descobrir a maravilha que é nos amarmos. Ainda que dessa maneira, ainda que com a distância de um meio mundo entre nós..
Nós, que nos amamos tanto, apagamos as luzes e vamos dormir. Meu amor !

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Ontem (?)

Eu sei que isso aconteceu, sei que estavas louco de desejo e saudades, do outro lado do mundo... Sei que se transformou em apenas um sonho... Tua escolha! 
_____________________________________ 


Acho que adormeci quando a manhã já era clara...
Me enlouqueceste verdadeiramente ontem,
a ponto de fazer o que jamais pensei fazer !
E eu fiquei pensando no nível de loucuras
que poderemos atingir quando estivermos juntos!
Como um sonho dentro de outro sonho.
Sem saber se isso aconteceu.
Tu estavas num banheiro de hotel, um banheiro lindo...
Vestias... MEIAS BRANCAS!
Tu saíste da cama, andavas de lá pra cá,
te tocavas, provavas teu gosto, sentavas, levantavas, deitaste no chão...
Parecias um menino levado!
E eu te amei ainda mais, se isso é possível!
Teus olhinhos inchados de sono...
Teu cabelo desordenado...
Teu corpo maravilhoso, pra mim...
Tu tens idéia há quanto tempo eu esperava ouvir tua voz novamente?
Que durante esse tempo todo nós nunca ficamos juntos depois do amor?
E ontem eu te ouvi, pouco, mas ouvi e sei que me ouvias também...
Que emoção imensa!
Eu passei toda a manhã trabalhando e lembrando teu rosto,
tuas mãos que falam comigo com tanta firmeza,
que me dão ordens!
Quando se está desesperado de fome como eu estou,
as gotas do teu gozo me parecem uma cachoeira de água cristalina...
Escorriam pela tua mão e eu louca de vontade de engolir...
Foi maravilhosa a noite de ontem.
Queria uma noite assim a cada noite que existir nas nossas vidas,
mas onde tu me mordesses de verdade,
eu te apertasse pra valer
e os nossos beijos fossem a mistura
da loucura desesperada e a paz encontrada!