segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Alguém para mim ?

Que explicação pode haver para o fato de que eu tenha passado uma vida procurando o meu inteiro igual gêmeo diferente côncavo convexo e, quando o encontro ele simplesmente não me reconhece ou não está disponível para receber esse amor?
__________________________________________   

Alguém para mim?

Tristemente desolador... Absolutamente triste que não existas, que eu não te ache, não te reconheça... Ou quem sabe, tu não me viste, não achaste, nem sabias que era eu aquela mulher que cruzou no teu caminho, atravessou a rua na tua frente, parou no cruzamento ao teu lado...
Sabe lá o que pensavas, em que ponto da vida te encontravas, casado, amando, filhos, talvez cães ou gatos.... Uma casa, um barco quem sabe...
Gostas do mar?
Tenho tantas lembranças de momentos jamais vividos no mar... Lembro do sol, do movimento das ondas, do cheiro delicioso da água... Lembro teu corpo dourando ao sol, a penugem que te cobre, teus cabelos já rareando... Teus olhos me virando pelo avesso!
Como me derretes com teu olhar...
E, no entanto, nem sei quem és ou onde te encontrar...
Na verdade, eu te busquei em vários momentos da minha vida e tinha casa, família e cães, mas não amava! 
Sempre te esperei, e não consigo aceitar que vou embora desse tempo sem ter tido o tempo contigo.
Em alguns momentos do meu dia consigo sonhar acordada e quase te vejo, quase te toco, quase te provo....Mas a realidade me traz de volta e tu não estás comigo.
Na noite, quando viro na cama, às vezes te sinto o calor, fugaz, só resquícios... Como se tivesses levantado há pouco. Mas tu não estavas lá.
Essas visões que misturam o passado que ainda não vivi com o futuro que acredito viverei é que dominam meus dias e me fazem sorrir, alegram meu coração... 
Quanto amor terei que guardar pra te dar quando te encontrar? Haverá espaço em mim pra tanto? Tu ainda me buscas, me queres na tua vida sem saber que existo? Quanto estaremos dispostos a entregar de nós para termos um ao outro? Só vejo as perguntas e tu me negas as respostas. Só tu sabes o que fazer, que caminho tomar, que sinais entender, quanto adivinhar pra me reconheceres... Como queria te encontrar e dizer que sou eu a que buscas e que te busco... A quem vou fazer feliz e que vai me dar a razão da espera. Exatamente o porquê da espera e da busca. Porque não ter aceitado o fim e o finalmente e deixado rolar o tempo... Porque ter perseguido esse espectro de forma e cores e cheiros e sons que eu sei amar... Me acha então e me deixa te encontrar!          

Nenhum comentário:

Postar um comentário